Esse não é exatamente um museu, mas foi a penitenciária do Recife durante 118 anos. O prédio foi inaugurado 1855 e tem formato de cruz. Hoje o edifício é tombado pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (desde 1980) e funciona como o maior polo de comercialização de artesanato do Recife. Seria quase um “museu vivo” e em movimento das peças artesanais produzidas no Estado. Na casa há 110 lojas de arte e artesanato, além de um Teatro (Clênio Wanderley) e anfiteatro que acolhem ações formativas e espetáculos de teatro, música e dança. Conta com um elevador em sua parte central, sendo um ótimo local para comprar lembracinhas que remetem a cidade de Recife.

Endereço: Rua Floriano Peixoto, s/nº – Santo Antonio.
Telefones: (81) 3224.0557 | 3224.4017 | 3224.9963
Entrada: gratuita

Meninas! Tantos outros museus estão espalhados em toda a cidade de Recife. Eu comecei a frequentá-los desde a época da escola, era rotineiro irmos pelo menos duas vezes no ano letivo para esses espaços. Tantos outros é possível realizar a visitação, como por exemplo: o Museu do Homem do Nordeste, nas proximidades da Av. Rui Barbosa, o Mamam – Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães que fica na Rua da Aurora; Forte das Cinco Pontas (mas que tem apenas quatro pontas); o Museu de Arte Popular do Recife; o Memorial Luiz Gonzaga e o Espaço Passárgada. Sem falar das opções menos centrais, como o Museu-Oficina Francisco Brennand, o Instituto Ricardo Brennand e Fundação Gilberto Freyre. Fica a dica, para buscar ainda mais museus de Recife 🙂