Home > Cultura > 13 REASONS WHY – algumas considerações…

13 REASONS WHY – algumas considerações…

Bem… nas mídias sociais o ‘furor’ do momento é a série ’13 REASONS WHY’ que fala sobre os ’13 motivos que levaram a jovem Hannah Baker a cometer suicídio”. A série é uma adaptação do romance de Jay Asher que foi escrito em 2007, e produzido por Selena Gomez através da Netflix. Nos episódios, é contada a história do adolescente Clay Jensen que, ao retornar para sua casa encontra uma caixa de fita K7 (se você nunca tinha ouvido falar sobre fita K7, ela é da época em que nem existia Blue-ray… (mais informes?! Google ajuda 😉 ) Estas fitas foram gravadas por Hannah Baker, uma adolescente que registra os motivos que a levaram a tirar a própria vida duas semanas antes do recebimento destas fitas por Clay.

E, antes de dizer que a série faz a apologia [ou qualquer coisa do tipo] ao suicídio, vale a falta do roteirista da série, Brian Yorkey “”É uma tremenda responsabilidade”, disse o roteirista e adaptador. “Nós começamos a contar a história de tal maneira que nós entenderíamos enfatizar tanto a tragédia quanto a insensatez do que ela fez. Podemos trazer esperança aos telespectadores, mas especialmente aos telespectadores adolescentes, jovens e adultos, e ajudá-los a entender como havia maneiras de ela ter sobrevivido ao que estava passando.” E assim… afirmo eu: reflita que é possível passar por situações ruins na vida e sobreviver a elas… [A série mostra um pouco disso, mesmo o fim sendo a pior escolha de Hannah!]. Segue trailler…

De antemão, isso vai parecer clichê, mas vale o reforço… se você se sente triste; amargurado/a; em uma sensação de ‘ninguém me ama/ninguém me quer’; meus pais não me dão atenção; escola/faculdade é um saco; ou de repente estão procurando 13 motivos para você fazer o mesmo que a Hannah, liga para o…

141 – CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA

Tenho certeza que eles poderão lhe ajudar… Mas, continuando meu ‘textão’…

Esta postagem em si não é para contar o que acontece na série (tem um monte de postagem, resenha por aí)… o motivo é para alertar você que quer tirar a vida, pois isto não vai resolver os problemas que existem por aqui… Em algumas cenas da série, eu me lembrei de uma época em que eu apelidei todos os meus colegas de sala e se o fizesse hoje, provavelmente seria denominado bullying… a diferença é que não existia o discurso de ódio, de segregação na sala de aula, como acontece em muitos locais hoje no mundo… Me lembrei também que eu entrei numa “depressão” por ter descoberto uma traição de um ex-namorado que jurava que eu ia casar… fui traída, continuei no namoro, emagreci 6 quilos (é só ver a fotinha abaixo), pois ‘almoçava’ um copo de guaraná do Amazonas e só ia comer de noite… chorei que parecia o fim do mundo, dei a volta por cima e sobrevivi…

Eu com 46 kg, com 1,63 de altura… magrinha né? Idade? 22 anos! Meu rostinho magro foi cortado para preservar a imagem da pessoa que estava ao meu lado 😉

P.S.: A “depressão” está entre aspas porque não me consultei com especialista para ter o diagnóstico na época, mas conversando com uma amiga que é psicóloga, ela disse sim… apresentei sintomas de uma depressão racional (tinha consciência de tudo o que acontecia comigo, mas não tinha ‘forças’ para sair dessa)… mas saí!

Minha mãe tentou me ajudar, perguntando o que tinha… que estava magra, mas ‘óbvio’ que eu não contava o que passava em minha cabeça… Pasmem, cheguei a escutar que: “Besteira… Ele é homem pode trair. Mulher é que não!”… Só 2 anos depois é que ela entendeu o lado da filha… Não a culpo, pois hoje entendo perfeitamente que são gerações bem diferentes, de educação, formação, de vida! A conclusão disso tudo é… É possível viver depois de uma decepção amorosa! Sim e com certeza, né non? [Estou viva, tenho este blog, sou professora, casada, planejando filhos…]

Voltando a série²… A partir do desenrolar da história envolvendo… o primeiro beijo; fotinha compartilhada no celular dos ‘amigos’; as ‘amigas’ falando mal pelas costas; você ser exposta por conta deste compartilhamento; relações conflituosas;  conflito mental no ‘estou certa/estou errada’; máscaras que caem; no meu ponto de vista, uma das mais graves situações: omissão de um estupro… outro estupro… Infelizmente, para alguns isto é uma realidade, para outros não… Independente de sua situação, você pode buscar ajuda e/ou pode fazer como neste vídeo….

Voltando a série³ … tem gente a favor de sua exibição, tem muita gente contra… Se tiver vontade de assistir, assista! Há muitas séries pesadas, angustiantes, mas se os atores perceberam o potencial de interpretar e ajudar tanta gente, pense que eles fizeram a série pensando em você também, para te ajudar a fazer diferente da Hannah!

Por fim, o lançamento da série veio a tona, em conjunto com o ‘jogo’ Baleia Azul… [que em outrora, a ‘brincadeira do momento’ era a da Roleta Russa]… Se quiser ler sobre a Baleia Azul, clique aqui

No meu ponto de vista, isto tudo serve de alerta para se ter cuidado, não com os meios e sim com os jovens… Eles[Você] precisam de ajuda. O alto índice de suicídio, entre os jovens está crescente a cada ano, pois “a dor é insuportável de ser vivida, e assim é melhor tirar a vida”… A SAÍDA NÃO É ESTA! E acredite mais ainda, você não está sozinho, muitos que ajudam o próximo nessa questão, já passaram por algum momento bem delicado e triste! E vivem todos os dias, como garra, pois cada dia é dia… Até gente famosa, Jim Carey, Paula Fernandes, Ana Furtado, Britney Spears,  Cara Delevigne, como o Felipe Neto, super engraçado, às vezes tosco… mas esse vídeo, vale assistir… [Depois conclui a leitura deste post, viu?]

Por tanto… se você se depara com pensamentos suicidas, busque uma ajuda… reflita sua vida, busque terapia, busque o 141 (é só clicar no nome ou número que você será direcionado para o site deles)… Sim… ao assistir a série, tenha uma visão mais holística de todos os personagens… Todos, possuem problemas, e os encaram de uma forma diferente (com exceção de um)… Espero que este texto possa ajudar você, seu amigo/a, irmão/ã, filho/a, tio/a, primo/a, colega… Enfim… Esse texto foi o primeiro de ‘reflexão’ que faço (espero que outros venham por aí…). Fiquem bem, respirem… só o fato de respirar já indica que você é um ser privilegiado! 😉 :*
You may also like
50 % – Filme na NETFLIX

Leave a Reply